Inicio BICHOS NO SÓTÃO Chumaços. Pela largura (e altura) dos ombros se vê a coragem

Chumaços. Pela largura (e altura) dos ombros se vê a coragem

-

Duas almofadinhas costuradas nos ombros das camisolas, dos casacos ou dos sobretudos estiveram entre os acessórios de roupa feminina mais importantes na década de 1980. Hoje dão vontade de rir, mas os chumaços, como ficaram conhecidos, foram mais do que uma moda, serviram para mostrar que as mulheres são tão competentes e eficientes nos lugares de chefia como os homens.

A moda nos anos de 1980 tem tanto, mas tanto para mostrar que é o cabo dos trabalhos eleger o melhor de tudo. Rendas e folhos, camisas de flanela amarradas à cintura, ténis futuristas, cabelos à caniche, fatos fluorescentes, maquilhagem de cores berrantes, macacão de peitilho e alças, calças justas com tira de elástico na ponta, chumaços, cintos e pulseiras com picos de metal e muito, muito mais.

Escolher o melhor de tudo, esclareça-se, é escolher o mais surpreendente. Nada tem a ver com gostos. Isso é coisa que muda com o tempo ou, então, desaparece e reaparece depois de um tempo. Mas lembrar todas estas tendências é querer dar importância a tudo e acabar a não dar importância a nada. Por isso – e desculpem se há quem discorde do Bicho-que-Morde -, vamos lá eleger os chumaços como o melhor desta década.

São apenas duas almofadinhas de espuma insignificantes. Mas insignificantes só o eram no tamanho. Porque assim que se acomodavam nos ombros dos casacos, das camisolas de malha, camisas, túnicas, vestidos ou blazers, transformavam tudo em menos de nada. Ombros descaídos ficavam altos, direitos e corajosos. O corpo ganhava envergadura, músculo e atitude. Pelo menos era isso em que se acreditava.

Almofadadas e competentes

 Power Dressing é o movimento que quis mostrar como elas também são competentes nos lugares de chefia 

Era uma tendência mais feminina do que masculina, mas só nos primeiros anos. Depressa os homens quiseram mostrar que os seus ombros eram igualmente importantes. Mas foram elas que começaram esta moda, nos Estados Unidos. A febre dos chumaços rapidamente chegou ao Reino Unido, contagiando toda a Europa como um estilo obrigatório para as mulheres que, irritadas por não terem as mesmas oportunidades de trabalho que os homens, quiseram mostrar serem tão firmes e determinadas como eles.

E foi assim que aquelas almofadinhas passaram a representar o Power Dressing, o movimento feminista que mostrou como também elas sabem ser competentes e eficientes nos lugares de topo das empresas.  Blazers e casacos com grandes chumaços tiveram as suas primeiras aparições na televisão, em séries americanas que o resto do mundo seguia todas as semanas como se de uma religião se tratasse.

Dallas, que durou 13 anos, ou Dinastia, transmitida ao longo de outros oito anos, contavam as desavenças e as intrigas de famílias poderosas a gerir impérios de petróleo no Texas ou no Colorado.  Como qualquer série ou novela que se preze, havia sempre os maus da fita como a Alexis Carrington, de Dinastia (interpretada por Joan Collins). Elegante e sofisticada, mas má como as cobras, fosse a gerir as reuniões de negócios ou a controlar a vida dos filhos. Do alto dos seus ombros largos, nunca perdia a autoridade nem a vontade de se vingar do ex-marido.

Doces, sim, mas firmes também

 Os chumaços cresceram com a força feminina nas empresas, mostrando determinação, mas também delicadeza 

A moda dos chumaços começou na televisão mas, num abrir e fechar de olhos, estava nas ruas. E também nos ombros daquelas que eram as mais influentes, como Margareth Thatcher (1925-2013), a primeira mulher a chegar ao cargo de primeira-ministra do Reino Unido, em 1979. 

Mas havia outras como a princesa Diana (1961-1997), a mostrar que os ombros hirtos e firmes também assentavam em mulheres doces e delicadas. Pois, que a delicadeza não queria dizer que não soubessem tomar as suas próprias decisões e assumir o controlo das suas vidas.

Os ombros acolchoados estavam lá para mostrar que elas sabiam tomar conta não só dos filhos, mas também dos negócios. Os chumaços estiveram nos ombros delas e foram-se tornando cada vez maiores, aumentando à medida que crescia também a força feminina no mundo empresarial. Só começaram a diminuir de tamanho nos primeiros anos da década de 1990, até desaparecerem para dar lugar a outras modas.

Olhando para trás ou para as fotos dos anos de 1980, os chumaços dão vontade de rir, mas o certo é que essas almofadinhas mostraram que as pequenas coisas não são para menosprezar. Por isso, endireitem as costas, levantem a cabeça e não se esqueçam: ombro descaído é ombro desistente.

FOTOS E CRÉDITOS

1 The Library of Congress, creative commons
2Margaret Thatcher, creative commons, public domain
3Melanie Griffith – foto de Alan Ligh, creative commons, Attribution 2.0 Generic 
4Princesa Diana, John MacIntyre – Paisley Scotland, creative commons
5Joan Collins, The Heart Truthderivative work: Jan Arkesteijn [Public domain]
6Beatrice Arthur e Angela Lansbury, foto de Alan Ligh, creative commons, Attribution 2.0 Generic

1 COMENTÁRIO

  1. Artigo incrível!
    Não fazia ideia do porquê se usarem estes chumaços e adorei descobrir :)!
    A minha mãe guardou umas quantas peças de roupa dessa altura, e claro, têm chumaços!

    Um beijinho, Leonor

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here

A não perder

Qual é coisa, qual é ela?

As adivinhas fazem parte da tradição oral. Os mais velhos contaram aos mais novos e os mais novos não as deixaram morrer.